Participação no XIV encontro de empresários do Concelho de Mértola

23518906_10210710221657768_463564422681499984_n 23622059_10210710222257783_3851965517544120701_n

A seca extrema é um dos maiores problemas que enfrentamos atualmente. Será este um fenómeno pontual, ou teremos de viver permanentemente com esta situação?

Especialistas, produtores locais e empresários locais irão discutir um problema comum, tentando encontrar soluções que permitam otimizar as oportunidades do território, encontrando, conjuntamente soluções de mitigação e adaptação para um clima em mudança.

Dia 25 de novembro, pelas 14.15h no Pomarão, não deixe de participar: este problema também é seu.

Intervenções pós fogo – Versão web Poster

Infograma Pós-Fogo Terracrua Design Permacultura pos fogo 2017 portugal fire intervention

Excertos de apresentação – Intervenções pós incêndio florestal em Castanheira de Pêra

“Devemos olhar para a catástrofe do fogo como uma segunda oportunidade para planear e estruturar a nossa paisagem, para que se torne mais resiliente, eficiente e regenerativa.”

Excertos de uma apresentação em Camelo (Castanheira de Péra) sobre a abordagem da Terracrua em relação a intervenções pós fogo, com o Nuno Mamede Santos a falar de forma geral sobre topografia, erosão, florestação, movimentações de terra, sementeiras directas, hidratação da paisagem e outros temas no contexto da regeneração do território.

Muitos parabéns á organização do evento, e á Associação Raiz Permanente!

Ver o video

 

MAGUSTO-Camelo-2017-[Fb]

Trabalhos pós fogo na Quinta do Hério!

A Quinta do Hério é um projecto familiar de auto suficiência, seguindo os principios e éticas da Permacultura.  Ambicionam entre outras coisas, gerir e tirar usufruto de uma floresta bem gerida, em policultura, e a criação de agrofloresta em toda a propriedade que compraram há 3 anos, a curta distância de Alvares, e á beira de uma ribeira que corre todo o ano.

Alvares foi um dos locais bastante afetados pelos incêndios, sendo que a paisagem ficou praticamente toda incinerada pela passagem do fogo.

A Terracrua prestou apoio no planeamento pós fogo, e aproveitar o “começar do zero”, para se implementar um sistema resiliente e produtivo.

Aqui ficam umas fotos dos trabalhos, corte e deposição dos troncos queimados, e a construção de terraças, ambas as acções em contorno/curva de nivel.

Aqui fica um abraço forte para a familia, e que continuem sempre bravos e a andar para a frente!

herio2herio3herio4herio1herio7herio5

 

Fruto da parceria entre a Terracrua e a Quinta Do Hério, em Setembro de 2017 iniciámos os primeiros trabalhos estruturais pós fogo.

Construção das terraças que futuramente serão zona4 (gestão florestal) e zona5 (floresta de protecção), assim como trabalhos paralelos de corte e deposição dos pinheiros e eucaliptos ardidos, em curva de nível (contorno).

Ambas as técnicas são parte de um conjunto de estratégias que visa a mitigação da erosão e a hidratação da paisagem.

O impacto visual após a construção das terraças é facilmente reduzido, se as sementeiras de outono forem bem feitas, e se a chuva ajudar.”

 

 

Nota: Qualquer trabalho de modulação de paisagem (vala e combro, terraças, swales, charcas, preparações de terreno) devem ser procedidas de sementeiras para cobertura de solo, com uma mistura apropriada de várias espécies e extratos.

 

Trabalhos pós fogo na Corga da Pereira

A Corga da Pereira, projecto parceiro da Terracrua Design, foi uma das quintas severamente afetadas pelos incêndios de Junho de 2017, na zona de Pedrógão Grande/Castanheira de Pêra.

A familia Green  tem sido um pilar na comunidade de “neo rurais” na zona, sendo inclusive o primeiro projecto do género para os visitantes, que ano após ano, têm vindo aqui frequentar um dos Cursos de Design de Permacultura que regularmente organizam. Alguns dos habitantes actuais na zona, chegaram ali através dos Green.

Após o incêndio, foram várias as iniciativas de recolha de donativos para os ajudar, todas iniciadas por amigos e conhecidos da Corga da Pereira.

A Terracrua prestou apoio no design pós incêndio, e propôs entre outras coisas, a modulação do terreno, de forma a criar mais área de fácil manutenção, e de forma a controlar a erosão, aumentar a fertilidade do terreno, construir solo e hidratar a paisagem. Esta modulação seguindo as curvas de nível materializou-se na forma de algumas terraças construidas com recurso a uma retroescavadora, e seguindo o mapa geral que pode ser consultado aqui.

É com enorme satisfação que partilhamos aqui umas fotos da intervenção que a familia Green iniciou nas últimas semanas, e que vamos ter o prazer de visitar no próximo dia 5 de Novembro!

Um abraço e todo o nosso respeito a quem avança com intervenções no terreno, sem esperar pelo apoio das entidades oficiais, que tarda em chegar!

corga6

corga da pereira terracrua design

corga da pereira terracrua designcorga da pereira terracrua designNota: Qualquer trabalho de modulação de paisagem (vala e combro, terraças, swales, charcas, preparações de terreno) devem ser procedidas de sementeiras para cobertura de solo, com uma mistura apropriada de várias espécies e extratos.

Intervenções de emergência em áreas ardidas – Infograma

Este folheto pretende orientar o leitor, de forma prática, em como intervir em paisagens ardidas com vista a mitigar as consequências negativas da passagem do fogo, e à regeneração ecológica.

É apresentado de forma simples e ilustrativa e detalha estratégias e técnicas para:

  • Moldar a paisagem;
  • Controlar a erosão;
  • Gerir a matéria orgânica;
  • Implementar a base de um sistema perene, mais resiliente.

Faz clic na imagem para a ampliar.

O folheto também está disponível para download em versão .pdf para impressão (A3).

 

 

Curso de Introdução ao SIG 28-29/10 – 04-05/11

É com muito gosto que apresentamos uma nova proposta formativa, com um curso de introdução aos Sistemas de Informação Geográfica (SIG).

Sobre o SIG: (excertos tirados aqui, e aqui):
“O conceito de SIG tem-se alterado radicalmente desde a sua origem, devido à evolução tecnológica, quer de hardware, quer de software.
Hoje em dia, os seus limites parecem ser os da imaginação e arte dos programadores e dos utilizadores.

Mas o verdadeiro poder do SIG é a sua capacidade para integrar informação e ajudar à tomada de decisões no quotidiano daqueles cuja ocupação se prende com o território e as relações deste com o Homem;

No desenvolvimento do conceito de SIG, podem-se identificar quatro fases:

  1. Um sistema que permite a visualização e manipulação de dados geográficos.
  2. Uma base de dados geográfica.
  3. Um sistema que permite a análise espacial com vista à tomada de decisão.
  4. Um sistema que promove a literacia geográfica dos cidadãos, utilizando a Internet.”

 

Acerca do curso de introdução:

Datas: 28-29 de Outubro e 4-5 de Novembro
Duração: 24h
Horário: 10h00 – 13h00 e 14h00 – 17h00
Local: Sede da Terracrua, Praça da República, 44, 2ºesq  Loulé
Inscrições: sara.ruth@terracrua.org e 289 416 143

Custo: 220€ (+IVA) pelos 4 dias

Conteúdo programático:
– Conceitos Básicos de Cartografia e de Sistemas de Informação Geográfica;
– Sistemas de projecção e escalas;
– Interface de um SIG;
– Geometria e tipologia de dados espaciais;
– Criação e edição de camadas vectoriais;
– Edição, exploração, funcionalidades e potencialidades das tabelas de atributos;
– Conjugação de camadas Raster;
– Ferramentas de analise espacial;
– Aplicação de SIG em campo, picotagem e recolha de dados;
– Elaboração e edição cartográfica;
– Exportação de mapas.

O formador:
Gonçalo Gil
Licenciado em Geografia e Pós-graduado em Geografia Física e Ordenamento do Território, tem como principais competências:

  • Recolha, organização, carregamento, tratamento e modelação de dados e informação geográfica para/em sistemas de informação geográfica,
  • Elaboração de cartografia, mapeamento, análise de dados e deteção remota,
  • Utilização de material para levantamento e recolha de dados geográficos e topográficos (Topografia) como Drones, GPS, Estação Total, Teodolito, Nível e outros,
  • Utilização de material de Sondagens do tipo Trado manual Edelman, cunha, gouge e sonda pistão,
  • Interpretação paisagística, geológica, geomorfológica, hidrológica, climatológica, entre muitas outras,
  • Compreensão de processos naturais, antrópicos e relação entre estes.

 

 

Os livros da Fernanda Botelho chegaram à Terracrua!

Os livros da Fernanda Botelho não são apenas guias práticos sobre a flora Mediterrânica e as suas propriedades medicinais ou os seus constituintes químicos: são uma imersão no universo magnífico das plantas, e uma introdução à subtileza do mundo natural.

A Fernanda transporta-nos sempre numa viagem que começa na culinária ou na terapêutica natural, até às curiosidades botânicas, passando pelo o impacto cultural das plantas, nos homens e mulheres de Portugal.

*Texto de introdução inspirado de prefácios e criticas nos livros da F. Botelho.

Os seus livros estão disponíveis para venda na sede da Terracrua, em Loulé.

Contacta-nos através do e-mail: melanie.santos@terracrua.org ou por telefone 289 416 143.

 

INICIAÇÃO APICOLA em LOULÉ dia 23 e 24 de OUTUBRO 2017

É com muito orgulho que apresentamos mais uma formação apícola grátis, em Loulé, através dos nossos parceiros Associação O Mundo das Abelhas e Município de Loulé!

21192154_1526436604081055_6872746522648037422_n

 

 

INICIAÇÃO APÍCOLA em LOULÉ dia 23 e 24 de OUTUBRO

“Mais uma vez, voltamos a Loulé, para iniciar quem queira, no maravilhoso mundo das abelhas.

Seja por mera curiosidade, por interesse/hobby, ou como actividade profissional, é fundamental compreender o que implica a actividade, e quão bela é esta sociedade de insectos, dos quais tanto dependemos.

21231872_1526414940749888_7687431477241464316_n

Para mais informações ou inscrições contactar:
geral.omundodasabelhas@gmail.com
ou 961 809 603

E para seguir a Associação O Mundo das Abelhas no Facebook, é por aqui.

O blog da equipa Terracrua!