O que são as Fito-ETAR (domésticas)?

As fito-ETAR domésticas, ou bacias de evapotranspiração (Br.), são uma tecnologia de baixo custo que permite o tratamento de águas residuais cinzas e/ou negras.

O PROCESSO É SIMPLES 

O efluente é descarregado por gravidade em vários tanques (de ferrocimento, para maior durabilidade), para ser tratado/depurado em duas fases distintas:

1ª Fase: DECANTAÇÃO
Na primeira fase, o efluente entra no(s) tanque(s) de decantação (podem ser um ou 2, ou mais), onde os resíduos sólidos grosseiros são depositados por gravidade no fundo. Aí, serão progressivamente diluídos e decompostos pela micro-fauna naturalmente presente, sendo que o que passa depois para as câmaras seguintes, é somente o liquido à superfície, dado a comunicação entre os locais de fases distintas se encontrar à altura de 1m do fundo do último (ou único) tanque de decantação.

2ª Fase: DEPURAÇÃO
Isenta de materiais sólidos grosseiros, a água passa lentamente para uma segunda câmara constituída por duas partes, distribuídas de forma vertical:

      • Na divisória do fundo do tanque, o efluente passa por um meio constituído por inertes de granulometrias variadas (camadas de tijolo, telhas e pedras gradas, britas, camada vegetal (troncos), areia, terra, mulch) que actuam como filtro e local de crescimento de colónias de bactérias. Aí, grande parte dos constituintes do efluente (nitratos, nitratos, amónia, ureia, fosfatos, bactérias, protozoários, entre outros) são decompostos, eliminados e filtrados.
      • A segunda parte é constituída por uma variedade de espécies vegetais plantadas à superfície. Estas são escolhidas pela sua grande capacidade de depuração como a bananeira (Musa spp.), o lírio amarelo (Iris pseudacorus), os juncus (Juncus spp.), o vetiver, (Chrysopogon zizanioides), caniço (Phragmites australis), entre outras.

Estas plantas absorvem, através das suas raízes, os compostos simples resultantes da acção das bactérias, contidos na água que atravessou as diferentes câmaras. E nesse sentido, as fito-ETAR não têm só uma única função…

 

3ª Fase (opcional): RESERVA DE ÁGUA TRATADA
Opcionalmente, pode ser construida uma cisterna de água, acoplada ou não, de capacidade adequada, para guardar a água recém tratada para posterior irrigação de pomares ou prados.

 

HIDRATAÇÃO DA PAISAGEM

O resultado final da acção da fito-ETAR é um efluente depurado com uma carga irrisória de poluentes, nutrientes e patogénicos. Este pode, e deve, ser reutilizado na rega de pomares, sebes ou floresta, sendo que em último caso pode ser descarregado em corpos ou linhas de água sem problemas para o ecossistema, quer a nível de eutrofização e contaminação, quer a nível de saúde pública.

Através duma fito-etar, é criado um ecossistema húmido e ensombrado, resultado directo da evapotranspiração do próprio sistema e sobretudo das plantas que o constituem (estima-se que a evapotranspiração em clima mediterrânico, no verão, é entre 6-8mm por dia, ou seja, 60 a 80 m3 de água, por Ha, por dia).
Assim, se cada lar implementar uma fito-ETAR para a depuração dos seus efluentes, podemos dizer que a evapotranspiração duma região seria multiplicada em consequência, contribuindo para a criação de microclimas, a hidratação da paisagem e a estabilidade dos ciclos hidrológicos…

 

ALÉM DA DEPURAÇÃO, A TRANSFORMAÇÃO

Considerando a quantidade de lares portugueses sem ligação à rede de esgotos, bem como a percentagem entre estes que têm a sua fossa com “poço roto” (por vezes situada perto do furo que abastece as torneiras de casa, ou a derramar lentamente na linha de água mais próxima), é caso para nos orientarmos para soluções mais eficientes, mais baratas, mais duradouras, mais rentáveis,… muito mais rentáveis! E que não prejudiquem o ecossistema, antes pelo contrário…

É que com as soluções de saneamento ecológico, os resíduos não só são purificados, são transformados num recurso valioso: é o que acontece nas fito-ETAR, nos biodigestores, ou em casas de banho secas diversas. Cada um destes sistemas traz os seus benefícios próprios, então, para escolher o melhor sistema, podemos-nos perguntar, em simultâneo:

    • Quais são as suas necessidade e possibilidades (quantidade de pessoas e duches, sistemas já existentes, disponibilidade em recursos:água, serradura, sol, etc.) ?
      Faça uma auditoria de consumo para entender o volume de água que passa no seu sistema! Pode simplesmente verificar o seu contador de água, se tiver um furo, começar a tirar as suas medições, ou passar por um simulador de consumo como este ou este.
    • Qual é o impacto/produto final que deseja obter a partir dos seus resíduos ?
      • Água/evapotranspiração: para aumentar a taxa de humidade no jardim;
      • Gás: para utilizar na cozinha;
      • Composto/fertilizante: para adubar fruteiras; ou até
      • Quase “Nada” (na casa de banho seca sueca, o único resíduo é o gás, ventilado para fora de casa, e uma quantidade ínfima de líquido fertilizante).

 

Para já, em casas já construídas, e sem dúvida para o tratamento de águas cinzas (banhos, duches, lava-loiça, roupa, etc.), a solução mais adequada será sem dúvida a fito-ETAR. Por esta razão, (e muitas outras outras!) recomendamos as fito-ETAR em ferrocimento, technologia mais duradoura: são versáteis, discretas, e uma excelente maneira de aproveitar as águas residuais, como por exemplo em estufas para fruteiras tropicais, em pomares, sebes, ou em tanques para qualquer outro uso!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo