Pomar misto em Permacultura

TIPOLOGIA
Planeamento pontual e implementação
Pomar misto em Permacultura  

RESUMO
A proposta de Planeamento Pontual/Específico aqui apresentada visa fornecer as orientações para o estabelecimento e a manutenção dum Pomar Misto segundo os princípios da Permacultura e Ecologia Regenerativa; Foi pensado sobretudo para servir a residência, tendo-se por isso apostado numa grande variedade de espécies de fruteiras e plantas Esq plantacao pomar misto 163 TCaromáticas e medicinais, e não tanto na quantidade, uma vez que o seu objectivo não é comercial.

Local
Alfeição, Loulé, Faro

Cliente
Privado

Data 
11/2017 – 01/2018

Extensão
4689m2.

CARACTERIZAÇÃO DO  LOCAL
O terreno, inserido na paisagem semi-rural do barrocal Louletano, é virado a Nascente e é marcado por uma modelação suave e fácil de trabalhar seguindo as linhas de contorno naturais, apresentando assim uma exposição solar e uma modelação topográfica ideal para a implementação de um pomar. O solo, no entanto é bastante arenoso e encontra-se ao abandono, com a presença de salsaparrilha (Smilax aspera) em vários locais.

 

OBJECTIVOS
Pretendeu-se aqui conceber um design especificamente no âmbito de apoiar este agrossistema de escala familiar: quis-se um sistema de fácil manutenção, mas com alta produtividade e um máximo de resiliência, com o objectivo de o tornar cada vez mais autônomo (com cada vez menos entrantes).

        • Regeneração do solo;
        • Design das infraestruturas hídricas;
        • Selecção de espécies fruteiras para produção e colheitas ao longo do ano;
        • Selecção de espécies de apoio ao pomar: polinização, adubação, protecção e produções complementares;
        • Paisagismo ecológico.

 

A METODOLOGIA
Considerando as especificidades do local e do projecto, e com a trama de fundo da hidratação da paisagem, foi adotada a seguinte metodologia:

          • Organização das plantações segundo as curvas de nível e em vala-e-combro (swale) para máxima retenção das águas de chuva e matéria orgânica;
          • Criação de sebes protectoras: para redução da erosão (hídrica e eólica), retardante de incêndios florestais, e como complemento cultural (PAM, bagas, etc.);
          • Criação de cobertura verde (pasto) permanente nas entre-linhas, para a adubação do pomar (leguminosas), apoio na polinização (melíferas) e para controlo da erosão (hídrica, solar e eólica) e estruturação do solo (gramíneas);
          • Design do sistema de rega dividido em dois sectores, controlados por válvulas manuais, ambas localizadas num ponto de fácil acesso (lateral do caminho principal) para que sejam facilmente controladas.

 

SINGULARIDADES
RAN

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo