Quinta do Cabo, Odemira – Planeamento Estrutural

TIPOLOGIA

Planeamento Estrutural
Local: Cavaleiro, Odemira
Cliente: Privado
Data: 2018
Extensão: 1,7 Ha.

 

CARACTERIZAÇÃO DO LOCAL

A propriedade insere-se na paisagem litoral rural da freguesia de Cavaleiro, Concelho de Odemira, e ocupa uma área com cerca de 1,7ha. Encontra-se acompanhada na sua extrema Sudoeste pela margem de um pequeno ribeiro que corre o ano todo, localiza-se a uma distância aproximada de 1km do mar, sendo assim influenciado pelas brisas e névoas marítimas, e ventos fortes.
Na morfologia do terreno consta um declive suave em direcção à ribeira que se encontra degradada ecologicamente.
Até à data, o pastor conduz as ovelhas no local, as quais pastam, periodicamente, de forma livre no terreno todo.

 

 

OBJECTIVOS DO PLANEAMENTO

Esta quinta tem uma área de 1,75ha com grande potencial para o desenvolvimento de actividades turisticas, agrícola e regeneração de habitats. O cliente pretende diversificar a produção agrícola, enquanto regenera a paisagem através técnicas e métodos inovadores baseados nos princípios da permacultura. O cliente tem ainda como objectivo a sustentabilidade e a experimentação no cultivo de novas espécies e variedades de alimentos, e a eventual educação ambiental aliada ao eco-turismo, garantindo uma experiência única aos hospedes.

O estudo aqui apresentado incide sobre a totalidade da parcela, com uma forte vertente na concepção do plano de sebes (privacidade, ripícola, divisórias e corta-vento). As mesmas terão, tanto quanto possível, uma forte vertente comestível, corta-vento, e, em alguns casos, ornamental, dado o terreno ser o “jardim” desta família de 6.
A proposta visou assim fornecer as orientações para o estabelecimento e desenvolvimento de uma quinta produtivo e eficiente, para um lar o mais autónomo possível em termos alimentares e energéticos.
Entre os objectivos, está a implementação de sistemas regenerativos de produção florestal, frutícola e hortícola, passando pela avicultura (produção de ovos de galinha), e a articulação, divisão e correcto zoneamento dos espaços.

 

Entre os elementos e actividades a planear:

Estrutura ecológica: Sistema de hidratação da paisagem, represa/charco pequeno, sebes de proteção (privacidade, ventos), sebes ribeirinhas, sebes de controlo de erosão/taludes;

Infraestruturas domésticas e agrícolas ecológicas: Rede de acessos/caminhos, sistema de regadio, cisternas e saneamento ecológico;

Desafios específicos: Articulação e correcta divisão dos espaços a diferenciar (várias zonas de construção existentes e/ou possíveis, com uma cunha em classificada como área urbana);

Este projecto vem articular o design ecológico e regenerativo com sistemas de produção agrícola e florestal à escala familiar, num terreno com forte proximidade da aldeia e um desejo de conciliar privacidade com abertura social, ponctual.

 

SINGULARIDADES

REN / PNSACV (Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina); Espaços de Valorização e Protecção Ambiental (2);
Rede Natura 2000 / Habitats: 92A0, 3120, 3170, 6420;
RAN;

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo